O que é Psicologia Analítica ou Junguiana

Você sabe o que é a Psicologia Analítica ou Junguiana?

 

 

 

                                              Então vamos lá. Carl Gustav Jung foi quem, após estudar e pesquisar os                                                                 postulados de Freud e deles discordar, em parte, formulou conceitos interessantes                                               a respeito do psiquismo humano. Foi ele quem formulou a premissa de haver no                                                        inconsciente tanto uma instância que seria o inconsciente pessoal (que                                                             guardaria as vivências de nossa experiência no mundo e da qual nem lembramos)                                                    como a do inconsciente coletivo (instância na qual encontra-se o assim                                                                chamado material arquetípico que remontaria desde o princípio do mundo).

 

                  É atribuída ao apostolo Paulo a seguinte frase: " Senhor, porque faço o mal que não quero e não faço o bem que quero"? Poderíamos dizer que ele, talvez, tenha sido o primeiro a falar de modo tão claro sobre a autonomia do inconsciente. Isto é, esta instância age, na maioria das vezes, sem o nosso consentimento. Leva-nos a fazer ou dizer aquilo que não queríamos. Mas ele tem os seus motivos para agir assim. Com isso quero dizer, a autonomia do inconsciente sempre nos levará a um ponto de nós mesmos do qual não estamos conscientes, ou seja, embora ele pareça em desacordo com o nosso lado consciente, ele se revela o de mais verdadeiro em nós.

            E é nesse campo da psique que encontramos os Arquétipos. Os mais reverenciados são:

Anima

Animus

Persona

Sombra

Self

da Mãe

do Pai

                                        Jung trabalhou muito com os sonhos. Estes seriam mensageiros do inconsciente, falando em linguagem simbólica o que se passa na vida interior do sonhador. Os sonhos nos revelam os caminhos percorridos e os caminhos a percorrer rumo a nossa Individuação, ou seja, o processo de reconhecer a si mesmo como um ser único.