A Inocência Perdida

 

Parece um assunto ligado à infância ou adolescência, mas não é!

 

O ser adulto também pode ser descrito como inocente: ele não sabe que dentro dele há um sistema que comanda sua vida, suas escolhas, suas ações. Entretanto, por ignorar esse fato, acredita que tudo que faz é por vontade própria e consciente, e que parte disso pode sofrer influência de sua carga genética ou de padrões familiares.

 

Desconhece, embora já tenha ouvido falar, sobre o inconsciente. Carl Gustav Jung postulou sobre o Inconsciente Coletivo e sobre o Inconsciente Pessoal. O primeiro é aquele que tem em si a história da humanidade representada na forma de arquétipos; o segundo guarda as experiências vividas pelo indivíduo desde o seu nascimento.

 

Ainda, segundo Jung, o inconsciente é autônomo e soberano na vida psíquica e, portanto, responsável por nossas ações.

 

Você pode fazer muitas perguntas a si mesmo e não obter respostas claras e objetivas; vamos a alguns exemplos:

 

- Por que quero emagrecer, mas como compulsivamente?

- Por que queria ser um profissional das artes plásticas, mas estou estudando Administração de Empresas?

- Por que quero ter um relacionamento sério e só me relaciono com pessoas comprometidas?

- Por que estou cansado do meu relacionamento, mas não consigo romper e seguir em frente?

- Por que quero ter uma família, mas não me dou bem com meus pais e irmãos?

- Por que quero apenas viver e ser feliz, mas vivo me preocupando com os outros?

- Por que insisto em querer manter um relacionamento mesmo sabendo que não será bom para mim?

- Por que fico chateada quando as pessoas não pensam como eu se sei que cada um tem o seu jeito?

- Por que quero ser admirado e valorizado, mas só destrato as pessoas?

- Por que eu era uma pessoa "desencanada" e de bem com a vida e comecei a ter medo de morrer?

- Por que não consigo controlar meus acessos de fúria por motivos banais?

- Por que as pessoas me "perseguem" e "tiram sarro da minha cara", se sou uma pessoa que não interage  muito com os demais?

- Por que eu queria ter filhos e agora que os tenho quero distância?

- Por que tenho medo do escuro, da chuva, do entardecer? Não tem sentido.

- Por que quero ter sucesso, mas não consigo mostrar minha capacidade?

- Por que faço coisas que jamais faria só para agradar as pessoas?

 

Pois bem, você se identificou com algumas dessas perguntas? Ou lembrou de alguma outra sem resposta?

 

É natural! Há momentos na vida em que uma pergunta inquietante e desconcertante nos assola.

 

Quando uma pergunta desse tipo toma conta de nós, de maneira dolorosa e persistente, busca-se ajuda profissional – o psicólogo, o analista, o terapeuta. E este profissional é quem poderá nos ajudar a conhecer esse "outro" desconhecido – o inconsciente dentro de nós.

 

E, a partir deste momento, perde-se a inocência e seremos capazes de entrar num acordo pacificando os conflitos existentes, fazendo escolhas e tendo ações que realmente nos levem a viver uma vida feliz e realizada apesar dos obstáculos e dos acidentes que teremos pelo caminho.

Janeiro de 2014.